Você está visualizando atualmente Doenças cardiovasculares: como proteger o coração?

Doenças cardiovasculares: como proteger o coração?

Proteger o coração é uma das tarefas mais desafiantes que temos, pois, as doenças cardiovasculares são uma das principais causas de morte em todo o mundo.

Neste artigo iremos falar-lhe sobre as 3 doenças cardiovasculares mais comuns e sugerir algumas estratégias para mitigar o risco dessas doenças.

3 doenças cardiovasculares mais comuns:

As 3 doenças cardiovasculares mais comuns são: tensão alta (hipertensão), insuficiência cardíaca e enfarte do miocárdio.

Tensão alta 

A hipertensão é definida como uma pressão arterial sistólica (máxima) igual ou maior que 130 mmHg e/ou uma pressão arterial diastólica (mínima) igual ou maior que 80 mmHg, em pelo menos duas medidas consecutivas, com intervalo de tempo adequado, em adultos. 

Na maioria das vezes (cerca de 90%) as causas da hipertensão relacionam-se com hábitos e estilo de vida. Os restantes 10% de casos de hipertensão arterial têm causas orgânicas, como algumas alterações hormonais, ou algumas doenças e muitas vezes a causa nunca chega a ser conhecida.

A alimentação adequada desempenha um papel importante na prevenção e gestão da hipertensão, juntamente com outras medidas como:

– a prática regular de atividade física

– a diminuição de stress

– a cessação do tabagismo

– o uso adequado de medicamentos prescritos pelo médico

 

Insuficiência cardíaca

É uma condição crónica em que o coração é incapaz de bombear sangue de forma eficiente para dar resposta às necessidades do corpo. É uma condição progressiva que pode afetar tanto o lado esquerdo quanto o lado direito do coração.

Existem duas formas principais de insuficiência cardíaca:

  1. Insuficiência cardíaca sistólica : ocorre quando o músculo cardíaco enfraquece e não consegue bombear sangue adequadamente. Isso leva a uma diminuição da proporção de sangue bombeado para fora do coração a cada contração.
  2. Insuficiência cardíaca diastólica : ocorre quando o músculo cardíaco se torna rígido e não consegue relaxar corretamente. Isso dificulta o enchimento adequado das câmaras cardíacas durante o período de relaxamento.

Os sintomas da insuficiência cardíaca podem variar, mas geralmente incluem:

  • fadiga
  • falta de ar
  • inchaço nas pernas, tornozelos ou abdómen
  • ganho de peso repentino
  • tosse persistente
  • diminuição da capacidade de exercício
  • palpitações
  • dificuldade em dormir

O diagnóstico de insuficiência cardíaca é baseado numa avaliação médica completa, que inclui histórico médico, exame físico e testes de função cardíaca. O tratamento da insuficiência cardíaca visa aliviar os sintomas, retardar a progressão da doença e melhorar a qualidade de vida do paciente. Isso pode envolver uma combinação de medicamentos com mudanças no estilo de vida (como dieta saudável, controlo de peso, exercícios físicos supervisionados, fim do consumo de tabaco e limitação do consumo de álcool).

Em casos mais graves, pode ser necessário realizar procedimentos cirúrgicos, como revascularização miocárdica, implante de dispositivos de assistência ventricular ou até mesmo transplante cardíaco em casos selecionados.

 

Enfarte do miocárdio

Também conhecido como ataque cardíaco ou enfarte agudo do miocárdio, é uma condição grave que ocorre quando o fornecimento de sangue para uma parte do músculo cardíaco é interrompido. Geralmente acontece devido à obstrução de uma das artérias coronárias, responsáveis por fornecer oxigénio e nutrientes ao coração.

O enfarte do miocárdio é geralmente causado pela formação de um coágulo sanguíneo numa artéria coronária, que bloqueia parcial ou totalmente o fluxo sanguíneo. Isso pode ocorrer devido ao estreitamento e endurecimento das artérias causado pelo acumular de placas de colesterol e outras substâncias. Essa obstrução resulta em danos nas células cardíacas.

Os sintomas típicos de um enfarte do miocárdio incluem:

  1. Dor no peito: Geralmente descrita como uma sensação de aperto, pressão, peso ou ardor no peito. A dor pode-se espalhar para os braços (principalmente para o esquerdo), ombros, pescoço, boca, costas ou abdómen.
  2. Falta de ar: Dificuldade em respirar, muitas vezes acompanhada de uma sensação de ansiedade.
  3. Náuseas e vómitos: Alguns pacientes podem apresentar esses sintomas durante um enfarte do miocárdio.
  4. Tonturas e desmaios: Pode ocorrer devido à diminuição do fluxo sanguíneo para o cérebro.

doenças cardiovasculares - como cuidar do coração sintomas

De referir que os sintomas podem variar de pessoa para pessoa e, em alguns casos, especialmente em mulheres e idosos, os sintomas podem ser mais atípicos, como desconforto abdominal, fadiga extrema ou falta de ar sem dor no peito.

O enfarte do miocárdio é uma emergência médica que requer atenção imediata.
Ao suspeitar de um enfarte, é essencial ligar para o serviço de emergência médica 112  ou procurar atendimento médico imediatamente.

O tratamento para um enfarte do miocárdio geralmente envolve uma combinação de medicamentos para aliviar a dor, dilatar as artérias coronárias, prevenir coágulos sanguíneos e reduzir o esforço do coração. Além disso, pode ser necessária uma intervenção invasiva, como angioplastia coronária, em que um cateter é inserido na artéria obstruída para abrir o bloqueio e restaurar o fluxo sanguíneo, ou cirurgia de bypass.

 

Quais as principais causas de doenças cardiovasculares?

As principais causas de doenças cardiovasculares relacionam-se com a existência de fatores de risco. Estes fatores aumentam o risco de desenvolver doenças cardiovasculares, principalmente quando presentes em conjunto.

– A hipertensão arterial, ou tensão alta, é um dos principais fatores de risco para doenças cardiovasculares. Ela pode danificar os vasos sanguíneos e aumentar o risco de ataques cardíacos e derrames. Recorde o nosso artigo e saiba como controlar a sua tensão!

– O consumo de tabaco também é um fator de risco significativo, já que pode danificar os vasos sanguíneos e aumentar a formação de coágulos sanguíneos.

– A diabetes é outro dos maiores causadores de doenças cardiovasculares. A doença pode danificar os vasos sanguíneos e aumentar o risco de ataque cardíaco e derrames cerebrais.

– A obesidade também aumenta o risco de doenças cardiovasculares, pois pode levar ao acumular de gordura nas artérias e torná-las menos flexíveis.

– O sedentarismo também é um fator de risco, pois a falta de atividade física pode levar a um aumento do peso e a um enfraquecimento do coração.

 

Como prevenir doenças cardiovasculares?

Um estilo de vida saudável é uma das principais maneiras de reduzir o risco de desenvolver doenças cardiovasculares.

  • Alimentação equilibrada 

    A adoção de hábitos alimentares saudáveis, incluindo a ingestão de frutas, vegetais, cereais integrais e proteínas magras, pode ajudar a reduzir o colesterol e a pressão arterial, bem como a manter um peso saudável. Manter um peso saudável é fundamental para melhorar a sua saúde cardiovascular. 

  • Actividade física regular 

    O exercício regular também é essencial para a saúde do coração. Ele pode ajudar a melhorar a função cardíaca, reduzir a pressão arterial e melhorar a circulação sanguínea. As atividades aeróbicas, como caminhada, corrida, natação e ciclismo, são particularmente benéficas para o coração.

  • Gestão do stress 

    O stress crónico pode aumentar a pressão arterial e levar a outras condições que aumentam o risco de doenças cardiovasculares. A meditação, yoga e outras práticas de relaxamento podem ajudar a reduzir o stress e melhorar a saúde do coração.

doenças cardiovasculares - como cuidar do coração stress

Lembre-se que prevenir doenças cardiovasculares não é apenas evitar fatores de risco, mas também promover hábitos saudáveis que ajudem a manter a saúde do coração.


FONTES
AADIC – Associação de Apoio aos Doentes com Insuficiência Cardíaca
SPHTA – Sociedade Portuguesa de Hipertensão

Deixe um comentário