Você está visualizando atualmente Higiene oral: 7 erros comuns

Higiene oral: 7 erros comuns

A higiene oral é essencial para uma boa saúde geral pois uma boca saudável ajuda a prevenir cáries, doenças nas gengivas e outros problemas de saúde.
Muitos, se não a maioria dos problemas relacionados com a higiene oral, são causados por não escovar suficientemente os dentes, tanto em quantidade como em qualidade.
Escovar os dentes regularmente, pelo menos duas vezes por dia, pode parecer bastante óbvio, mas é igualmente importante escovar os dentes da forma correta.

Neste artigo, revelamos os 7 erros mais comuns e como corrigi-los.

1. Usar a escova de dentes errada

Na altura de comprar uma escova de dentes, é normal encontrar várias opções que prometem a melhor tecnologia possível para melhorar a higiene oral.
No entanto, usar a escova de dentes errada pode fazer mais mal do que bem, e especialmente danificar a gengiva se não houver cuidado.

Embora existam várias formas, estilos, tamanhos e tecnologias diferentes de escovas de dentes, há algumas considerações principais a ter em conta:

  • Deve ser escolhido um tamanho de cabeça que possa alcançar todas as áreas da boca, incluindo os dentes molares posteriores.
  • A menos que seja alguém com necessidades especiais, uma escova de cerdas macias é preferível para evitar danos desnecessários à gengiva.
  • Para o tipo de cabo, deve-se optar por qualquer um que seja confortável. O tamanho da cabeça da escova de dentes e o tipo de cerdas são os fatores mais importantes.
  • É comum pensar que quanto mais duras as cerdas, melhor limpam, mas a maioria dos dentistas dirá o contrário: escolha uma escova de dentes com cerdas macias para evitar lesões nas gengivas.

2. Escovar com demasiada força

Tal como acontece com as cerdas, escovar com mais força também não é necessariamente melhor.
Esfregar os dentes com demasiada força é um dos erros mais comuns cometidos por muitas pessoas, o que é compreensível, pois é assim que acontece com outras atividades de limpeza.
No entanto, a placa bacteriana e os restos de comida são relativamente soltos e macios, pelo que a escovagem forte não é necessária na maioria das vezes.

Em vez disso, a escovagem dos dentes deve ser feita como uma massagem: suavemente e apenas com um pouco de pressão.
Escovar com demasiada força danifica as gengivas e pode também danificar a superfície dos dentes, o que pode levar ao aparecimento de cáries.

Escovar a língua

3. Esquecer a higiene da gengiva e da língua

A linha gengival é uma área onde as bactérias muitas vezes se acumulam, e ainda assim também a área que muitas vezes não merece a devida atenção.

Deve escovar-se a área logo abaixo do tecido gengival, 1 a 3 milímetros abaixo da gengiva.
É por isso que é necessária uma escova de dentes com cerdas macias e flexíveis que sejam capazes de dobrar. Para fazer isto, deve segurar-se a escova num ângulo de 45 graus apenas contra a linha da gengiva e usar movimentos suaves de cima para baixo.

Além disso, convém não esquecer de escovar a língua, pois esta é também uma área frequentada por muitas bactérias.

A acumulação de bactérias e placa na linha da gengiva pode levar a inflamações e vários tipos de doenças orais, por isso esta área da boca não deve ser negligenciada.

 

4. Não cuidar da escova de dentes e não substituí-la com frequência suficiente

Em primeiro lugar, manter a escova de dentes é, na verdade, muito simples: basta enxaguá-la com água após cada utilização e deixar secar ao ar.
Na maioria dos casos, não é aconselhado usar uma tampa para a escova de dentes, pois se não for limpa corretamente, a tampa pode ser um local onde as bactérias podem permanecer.

Outro erro comum, é não trocar a escova de dentes com a frequência adequada.
É frequente que as pessoas continuem a usar a mesma escova de dentes até irem ao dentista por uma razão ou outra e lhes é dito para substituir.
Usar uma escova de dentes em mau estado é bastante prejudicial, pois as cerdas velhas não são tão eficazes na limpeza e podem danificar a gengiva.
Em geral, a escova de dentes deve ser mudada:

– a cada dois meses
– depois de uma constipação, gripe ou doença do aparelho respiratório
– quando as cerdas estiverem visivelmente espalhadas para fora

5. Não escovar da maneira certa

É muito comum fazerem-se movimentos de cima para baixo durante a escovagem, ou escovar em pequenos círculos, assim como outros erros semelhantes.
A ciência periodontal ainda está a evoluir e, atualmente, a Associação Americana de Odontologia (ADA) recomenda que:
1º .  se segure a escova de dentes num ângulo de 45 graus em relação às gengivas
2º . se escove suavemente os dentes com um movimento curto de trás para a frente

Este movimento de trás para a frente deve ser usado para escovar as superfícies internas e externas dos dentes, e mudado para um movimento de cima para baixo para os dentes da frente, inclinando a escova verticalmente.

 

6. Escovar demasiado cedo após uma refeição

É também um erro comum escovar demasiado cedo depois de terminar a refeição, muitas vezes devido à sensação incómoda de ter restos pegajosos ou desagradáveis entre os dentes.
No entanto, logo após uma refeição, é habitual ter ácidos na boca, enquanto que os dentífricos são muitas vezes feitos de materiais abrasivos. Quando combinados, o ácido e os abrasivos podem corroer e danificar os dentes.

Por isso, o ideal é esperar pelo menos 15 a 20 minutos para que a saliva possa decompor naturalmente o ácido antes de escovar.

Se for mesmo necessário escovar, a alternativa é enxaguar a boca com água várias vezes para se livrar de parte desse ácido.

higiene oral, escovar quanto tempo


7. Escovar demasiado rápido

Provavelmente, é o erro mais habitual. A pressa, a azáfama diária, o cansaço… levam muitas vezes ao erro de apressar a escovagem dos dentes.
No entanto, escovar demasiado rápido significa não limpar o suficiente, e também pode ferir a gengiva ou os dentes no processo, se forem aplicados movimentos de escovagem demasiado rápidos.

Em geral, os dentes devem ser escovados duas vezes por dia, durante pelo menos 2 minutos de cada vez. Pode ser usado um cronómetro, uma música com cerca de 2 minutos de duração ou até ver um vídeo com esse tempo. A maioria das escovas elétricas sinalizam quando a escovagem alcança os 2 minutos.



Conclusão
Escovar e usar fio dental regularmente e da forma correta, ajuda a manter a higiene oral e evitar doenças dolorosas.
Ainda assim, são recomendadas visitas regulares ao dentista a cada seis meses, no mínimo.

 

Deixe um comentário